terça-feira, 15 de novembro de 2011

Agora eu Morro - Fabio Brust



Sinopse: O mundo está em completo colapso. A água potável rapidamente desaparece, a comida é rara. O calor é cada vez maior, sufocante. As espécies vegetais e animais não mais existem. O próprio ser humano, causador de todos os grandes problemas mundiais, está em extinção.
Em meio a esse cenário, um grupo luta para se manter vivo em uma grande cidade, enquanto procura por outros sobreviventes como eles.

Capa.
Em primeiro lugar, gostaria de tocar no assunto da capa. Acho muito importante a apresentação de uma obra, porque, querendo ou não, esta é o que chama a atenção de um leitor quando ele está passeando por entre as prateleiras de uma livraria em busca de uma nova história para se envolver.
Quando peguei o livro Agora eu Morro, do autor brasileiro Fabio Brust, não havia entendido o sentido daquela gota de água presente na capa em relação ao nome do livro, até porque são temas diferentes, mas que estão lado a lado dentro da história. Então, ponto positivo para a idéia da capa que engloba sutilmente os dois temas abordados na obra.

História.
Um cenário que reúne um grupo de sobreviventes e a idéia apavorante do fim do mundo, não é novidade dentro do mundo cinematográfico ou literário, temos inúmeros exemplos que abordam este tema do apocalipse, entre outras teorias, mas o que chama a atenção e dá o tempero certo nessa história, é a relação do personagem principal Imort, com a sua fugitiva de longa data Morte.  O livro, dentre outras histórias relacionadas, conta a busca implacável deste personagem pela morte, ou ao menos um motivo que o faça querer viver sua eternidade.
Este é um detalhe que por vezes me deixou perturbado, a idéia de um fim assusta sim, mas pensar que tudo tem um fim, e somente você é eterno, isso é indiscutivelmente perturbador.

Personagens.
Os créditos devem ser dados ao autor, pois os personagens contam com características e personalidades muito vivas, muito bem expressadas ao longo do que se conta. A relação entre eles às vezes se equipara às relações da vida de cada leitor, às brigas, ao companheirismo e até aos romances.
Este último fica bastante claro na relação do personagem Imort e de sua companheira Char, a qual vale frisar que achei muito interessante pelo fato de ela ser um clone, isto mesmo, enquanto Imort é imortal e não tem preocupações com sobrevivência própria, este, em contrapartida, preocupa-se na sua totalidade em manter Char viva, levando em conta que esta, por ser um clone, tem suas distinções da raça humana, como um  organismo enfraquecido.
Contudo, Imort, para mim, não é nem de longe um herói, pelo contrário, ele é o oposto do meu conceito de herói. Imort é egoísta, arrogante, e por vezes me fez querer matá-lo. Mostraria fácil o caminho da morte para ele. Mas há aqueles que se identificam, e vêem nele, algo que agrade.
Char, por outro lado, é fraca, sem perspectiva, e muitíssimo dependente, o que a torna aquele personagem que é sempre o atraso do grupo.
Por isso, com quem eu mais me identifiquei e admirei entre todos, foi Yuma, esta sim é independente, mas ao mesmo tempo sociável e humana. Ela também não é tão egoísta ou arrogante quanto Imort, e possui grandes habilidades, que poderiam inclusive ter sido mais exploradas.

O final me agradou bastante, e quem já leu, vai entender, pelo que eu disse aqui, o porquê da minha satisfação.
Concluo então, que esta é mais uma amostra do nosso incrível time de escritores brasileiros que estão crescendo e se destacando dentro do universo literário. E é uma leitura que irá despertar alguns sentimentos de romances, raiva e até fazer dar algumas risadas.

Boa leitura.

Reações:

7 comentários:

  1. Arthur, gostei muito da sua resenha!
    Só pra comentar, meu objetivo principal com o Imort era justamente fazer com que ele fosse detestável. Eu também não gosto dele, não! :P
    Obrigado pela resenha! Você é bom escrevendo-as ;)
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. E, ele escreve bonzin msmo... ehauehue :D
    boa resenha...
    gostei tb do livro

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha! Acho que o livro vai pra minha lista de próximas aquisições. Quando vi que você lia o livro no Skoob fiquei curiosa, agora tenho certeza de que é bom.
    ps: Eu leio Jogos Vorazes desde antes da publicidade larga em cima dele, gostei muito desde o inicio, mas cada um com sua opinião própria :D

    ResponderExcluir
  4. Ta aí um livro que eu quero ler. Eu lembro que eu li sobre esse livro uns dias atrás e gostei muito!

    Um beijo,
    Luara - @luuara
    http://estantevertical.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá Arthur!

    Eu gostei muito do livro! Também adorei o final e desde então espero por um novo livro do Fabio! Espero que saia logo a trilogia que ele está escrevendo!

    Beijo!
    http://janinestecanella.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Achei muito interessante vou buscar ler.

    Abraços,
    Leeo - @leeoBovi
    http://livrosougames.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Depois de lê sua breve crítica fiquei interessada em ler o livro e olhe que esse tipo de literatura não é meu forte. Achei logo de inicio interessante a trama pelo nome dos personagens que não sei se propositalmente lembram mitologia.

    Abraço pra você, menino que quer ser impulsivo.

    ResponderExcluir