sexta-feira, 25 de abril de 2014

FILME: DIVERGENTE

“Na futurística Chicago, quando a adolescente Beatrice (Shailene Woodley) completa 16 anos ela tem que escolher entre as diferentes facções que a cidade está dividida. Elas são cinco, e cada uma representa um valor diferente, como honestidade, generosidade, coragem e outros. Beatrice surpreende a todos e até a si mesma quando decide pela facção dos destemidos, escolhendo uma diferente da família, e tendo que abandonar o lar. Ao entrar para a Dauntless, ela torna-se Tris e vai enfrentar uma jornada para afastar seus medos e descobrir quem é de verdade. Além disso, Tris conhece Four, um rapaz mais experiente na facção que ela, e que consegue intrigá-la e encantá-la ao mesmo tempo.”



Em primeiro lugar, darei uma opinião geral sobre o filme, sem entrar em detalhes da história, e sem dar spoilers.

ROTEIRO

A história se passa num futuro não muito distante, num mundo pós-apocalíptico, onde a humanidade ou o que restou dela vive agora dentro de uma região cercada por muros, perfazendo uma espécie de fortaleza que os defende contra uma ameaça que não fora tratada neste primeiro longa quem sabe no próximo a gente tenha uma ideia melhor do que os ameaça.

Para organizar a nova sociedade, criou-se um sistema de facções tudo brevemente explicado no início do filme pela protagonista, que consiste em cinco grupos distintos: Abnegação, Amizade, Franqueza, Audácia e Erudição.


Trata-se, na verdade, de cinco características naturais da personalidade humana. Como assim? O sistema é simples: para controlar o destino de cada pessoa no novo mundo, alguém resolveu que, ao completar determinada idade, o cidadão passaria por um teste de aptidão, o qual lhe daria um direcionamento para a carreira (facção) que deveria escolher para viver.

A primeira, ABNEGAÇÃO, consiste em pessoas que possuem qualidades altruístas, ou seja, pensam nos outros antes de sí mesmos – os mais bonzinhos de todos – talvez por isso, esta é a facção que “governa” o novo mundo, uma vez que estarão sempre pensando no bem estar social acima dos seus próprios.

Em segundo plano, temos a facção da AMIZADE, cujo finalidade se resume em pessoas com talento para a agricultura, sendo estas essenciais para a produção de alimento de todo o resto.

Em terceiro, tem-se a FRANQUEZA, que se resume no mundo jurídico, ou seja, pessoas que estão sempre agindo de forma justa, expondo a verdade dos fatos e decidindo eventuais impasses que possam vir a ocorrer na nova sociedade.

Em quarto, está a AUDÁCIA. Esta é a facção destinada àqueles cuja coragem os define. Os mais destemidos cidadãos do novo mundo, e, por conta de toda essa bravura, exercem um papel fundamental na segurança da sociedade pós-apocalípse. Uma espécie de polícia do futuro.

Por último, e não menos importante, temos a facção da ERUDIÇÃO. Como seu próprio nome já diz, esta é a facção dos gênios, dos mais inteligentes membros da nova sociedade. São eles os responsáveis por toda pesquisa científica, estudos medicinais, tecnológicos e todo o resto das ciências. No entanto, com todo esse talento, há aí também duas figuras perigosas chamadas “ambição” e “ganância” que são responsáveis por uma verdadeira guerra fria em busca do Poder.

Vítima dessa ambição e ganância, a nova sociedade se vê no meio de uma guerra entre duas facções “Erudição – que busca ascenção” e “Abnegação – a facção governante” na busca pelo governo do novo mundo.


No momento de fazer sua escolha de facções, Tris (Shailene Woodley – Protagonista da trama), opta pela AUDÁCIA, deixando para trás sua família (ABNEGAÇÃO), e no meio de toda a guerra de facções por debaixo dos panos, Tris conhece Quatro (Theo James), um veterano da nova facção da garota, e que acaba ajudando ela a se manter na nova família. Romancinho de leve.

O que levou Tris a se desvincular de sua facção original e seguir um rumo diferente, além do curioso resultado de seu teste de aptidão, define o nome do filme: Aqueles que não têm aptidão para estarem em apenas uma das facções são chamados DIVERGENTES, os quais não se deixam guiar por um único ideal, mas sim por inúmeros. Tal qualidade se torna uma ameaça para o mundo perfeito de Jeanine - Kate Winslet - o que coloca Tris e os demais divergentes como alvo principal da ideia nazi-facista que vem se criando ao longo da história.

O roteiro é bom e, apesar do orçamento bastante limitado, vejo um trabalho muito bem feito pelo diretor Neil Burger, que conseguiu colocar bastante ação, um romance moderado sem muita melação e chateação como o de Crepúsculo e bastante história para agradar tanto aos fãs da obra literária quanto àqueles que sequer ouviram falar da mesma.

PERSONAGENS

No que diz respeito aos personagens, não sei dizer se foi o diretor Burger ou a nobre autora da obra literária, Veronica Roth, que trouxe um Q de fraQueza em seus personagens. O elenco é bastante forte, o que me faz pensar que o diretor não teve culpa nessa indefinição.




            
Destaco apenas três personagens e atores: KateWinslet em seu papel de “Hitler de saias” como ela mesma se intitulou – sua personagem é Jeanine, líder da facção Erudita. A própria Shailene Woodley, em razão de sua atuação como Tris – encantadora e voraz. Por último destaco Theo James como Quatro – um dos veteranos e líderes da facção Audácia, além de affair da protagonista Tris.

No que concerne ao restante dos personagens, são tão inexpressivos e irrelevantes que nem mesmo consigo lembrar-me seus nomes.



CONCLUSÃO

Com toda essa pressão, presenciei um excelente trabalho do diretor e de seu elenco aqueles que destaquei na construção e forma de contar essa nova trilogia, apesar de algumas pontas soltas nesse primeiro filme, que espero que encontrem seus lugares nos próximos dois filmes da saga.

No mais, eu indico!

Bom filme e ótima diversão!

OBS: Pessoal, peço que marquem aqui embaixo uma das opiniões sobre o post. É muito importante para eu saber o que acham. E não esqueçam de deixar seus comentários! Valeu!

Reações:

4 comentários:

  1. Olá, Arthur.
    Minha primeira vez aqui e gostei de seu espaço.
    Sobre Divergent é um filme e um livro que eu não sinto muita vontade de ver ou ler. Por motivos de ter se tornado um viral e eu sempre me decepcionar com esses virais... Mas deixando de lado um pouco esse meu receio sobre o filme, eu irei conferir. Sua opinião sobre ele me pareceu sincera, e realmente por ter a Kate já vale assistir.
    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Arthur!
    Tudo bem?
    Assisti ontem este filme e simplesmente AMEI! <3
    Não li nenhum dos livros da trilogia ainda, mas pretendo ler o mais breve possível. Acredito que sejam tão bons quanto a adaptação.
    Eu curti o elenco e odiei a personagem da Kate. Haha
    Ótimo post. (:
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  3. Olá ^^
    Eu ainda não vi o filme. Estou tentando me segurar para poder ler o livro antes, mas o filme assim como o livro não me convenceu nem um pouco, não me deu AQUELA vontade de ler, sabe? E sua resenha me animou mas não muito também, acho que definitivamente esse não é meu estilo nem de filmes e nem literário.

    Beijos,
    Larissa

    - Vitamina de Pimenta -

    ResponderExcluir
  4. Eu li a trilogia e amei, comecei a ver o filme pela internet e era em espanhol com legenda em português e a imagem estava ruim então nem cheguei ao final do filme. Me surpreendi com as cenas que vi no filme porque todos os personagens eram bem diferentes do que eu imaginei rs
    beijos

    ResponderExcluir