segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

O Chamado da Floresta - Jack London

Sinopse: Em 1896, enormes pepitas de ouro foram encontradas no Alasca, na confluência dos rios Yukon e Klondike. A descoberta do cobiçado metal nesta região inóspita fez com que hordas de norte-americanos juntassem suas economias e rumassem para o norte, na tentativa de enriquecer. Para sobreviver em meio ao frio, era necessário levar provisões abundantes e cães fortes para puxar os trenós, o único meio de transporte confiável.


Jack London (1876-1916), que tentou a vida no garimpo em 1897, narra neste romance as aventuras de Buck, o privilegiado cão doméstico de uma família californiana. Em meio à febre do outro, Buck é roubado de seu ambiente e contrabandeado para o Alasca. No caminho, sofre uma série de maus-tratos, até que encontra refúgio em uma irmandade de cães e, assim como os corajosos garimpeiros, vê-se na necessidade de adaptar-se à vida selvagem. Buck entra em contato com sua natureza primitiva, em uma jornada de autoconhecimento, e redescobre seus instintos. O Chamado da Floresta, publicado no formato de folhetim em 1903, deu fama mundial a Jack London e é talvez o romance mais difundido da literatura norte-americana: entre uma e outra aventura em uma das paisagens mais hostis do globo, o leitor é levado a reavaliar seus princípios de civilidade, lealdade e liberdade.


Jack London foi indiscutivelmente superior ao escrever O Chamado da Floresta. Em sua narrativa fantástica, o conturbado momento da vida de Buck, é contado de maneira tão clara e envolvente que eu diria ser palpável. Por vezes senti vontade de esticar uma das mãos e sacudir a cabeça de Buck para acariciá-lo, da mesma maneira que às vezes sentia vontade de lhes ser indiferente por conta de suas ações maldosas.


O autor, em sua obra, não poupa personagens de seus, muitas vezes tristes, destinos. Muitos dos outros cães que Buck acaba por conhecer enquanto é contrabandeado para o Alasca, quando não conseguem rapidamente se adaptar ao seus novos tipos de vida, diria Selvagem, terminam tendo que pagar com a própria vida, pois só os mais aptos conseguem se manter aquecidos no inverno incansável de uma das partes mais frias do planeta. E Buck é jogado neste ambiente tão rápida e inesperadamente, quanto se adapta a ele e descobre suas verdadeiras origens selvagens.


A história me deixava tenso e muitas vezes triste com o que Buck passava para se adaptar à nova vida, mas eu logo era empolgado por suas conquistas merecidas. Buck me ganhou em sua trajetória e com sua força e coragem, e quando o ponto final foi colocado em sua última página, eu quis poder ler mais sobre este corajoso e insubstituível cão, e também fiquei contente com seu destino.


Os personagens descritos pelo autor, envolvem o leitor desde o momento em que surgem, e deixam saudades mesmo antes de deixarem as páginas do livro para dar espaço a um novo membro do grupo que logo ganha o apreço do leitor mais uma vez. A história de Buck é cheia de novos e antigos conhecidos que passam por sua vida e a deixam tão rápido quanto chegaram, e Buck é obrigado a descobrir da maneira mais dura possível que a morte, entre outras formas de partidas, é simplesmente inevitável, e que todos são obrigados a seguir em frente, apesar da dura realidade da perda.



Jack London mostra e ensina através de Buck, lições impagáveis para a vida de qualquer ser, os mesmos que aprendem e se emocionam com cada palavra desta obra única.


Em poucas palavras: Uma obra rara. Magistral.

Reações:

4 comentários:

  1. É tão bom quando nos envolvemos tanto com um pesonagem e ficamos com uma saudade que parece até que nos falta algo...
    Gosto de ler livros assim, com um enredo que nos passa algo a aprender, algo a acrescentar em nossas vidas e deixa um rastro de saudade. Uma história com personagens fortes e inesquecíveis é muito mais difícil de esquecer e se conformar que acabou e me parece que "O chamado da floresta" proporciona todos estes sentimentos.
    Adorei a história e vou anotar para quem sabe, futuramente me envolver em sua leitura.
    Resenha fantástica Arthur, amei!
    Beijos querido e um bom fim de ano pra ti! ♥

    ResponderExcluir
  2. Olha vou dizer que nunca li esse livro e que nem conhecia, mas é bom um livro que nos faz sentir emoções eu simplesmente adoro.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. O.O EU NUNCA OUVI FALAR DESSE LIVRO NÃO!
    MAS PARECE TAO ASSUSTADOR QUE ME DA VONTADE DE LER \O/ AAAAAAA EU QUERO ELE AGORA PRONTO FALEI!!
    OTIMO TEXTO ARTHUR
    BEIJAO
    http://fomesedeevontadedeler.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Amo cães e quando me deparei com o livro só a capa prendeu-me à atenção. Quando li a sinopse tive certeza que queria ler. E quando comecei a ler não pude parar

    ResponderExcluir